Neurocirurgião faz panorama dos tratamentos para dor e antecipa inovações

ederepente50

Segundo a IASP (International Association for the Study of Pain), a dor é uma experiência sensitiva e emocional desagradável, associada com lesão tecidual atual ou potencial. Ela afeta a maioria das pessoas ao longo de suas vidas, de forma aguda ou crônica, e quando contínua, de longo prazo, compromete funções laborativas e sociais dos indivíduos, com consequências muitas vezes irreversíveis, com perdas familiares e de sustento.

Diante disso, a dor, que até então tem sido objeto de estudos científicos por anos para seu melhor entendimento e desenvolvimento de tratamentos que visem amenizar seus sintomas, parece agora vislumbrar outros horizontes, onde ela possa nem mesmo existir na maioria dos casos.

Como explica o neurocirurgião especialista em dor, Claudio Fernandes Corrêa, no passado, a dor era traduzida como expressão de alguma agressão ou, ainda, no contexto teológico, como fonte de sofrimento e punição que deveria ser aceita como tal. Com o passar…

Ver o post original 605 mais palavras

Anúncios

PROBIÓTICOS-As bactérias do bem -Saiba o que são e como fugir das enganações industrializadas

A Luz é Invencível

O termo probiótico deriva do grego e significa “pró-vida”. São microrganismos vivos naturalmente encontrados no intestino e que trazem benefícios ao organismo, como por exemplo a proteção contra agentes infecciosos, prevenção de doenças e a preservação da flora intestinal.A má alimentação, problemas intestinais, uso crônico de antibióticos e laxantes podem prejudicar a flora intestinal reduzindo consideravelmente o número de bactérias probióticas no intestino. Nestes casos a suplementação e a inserção de alimentos ricos em probióticos na dieta se tornam necessárias. Saiba o que são, onde são encontrados e como incluir em sua alimentação os alimentos probióticos.

Ver o post original 4.589 mais palavras

Dieta sem glúten e suas evidências científicas por Renata Furlan Viebig*

ederepente50

Doença Celíaca (DC) é uma enfermidade autoimune desencadeada pela ingestão de cereais que contêm glúten, especialmente o trigo e seus subprodutos, além de aveia, centeio, cevada e malte, por indivíduos geneticamente predispostos. Para que a doença se expresse, além do consumo do glúten e da suscetibilidade genética, é também necessária a presença de fatores imunológicos e ambientais.

Mundialmente, a DC é considerada problema de saúde pública devido à sua prevalência e à frequência de sintomas que impedem que o indivíduo tenha um cotidiano normal. A DC não tratada pode levar complicações graves, principalmente osteoporose e doenças malignas do trato gastrointestinal.

A exclusão do glúten da dieta destes pacientes não cura a DC, mas a mantém em remissão clínica, ou seja, há melhora de sinais e sintomas e a doença para de progredir. A substituição dos alimentos com glúten na dieta pode ser realizada utilizando-se milho, fubá, arroz, batata, mandioca, polvilho…

Ver o post original 517 mais palavras

+ Alimentos com Calorias Negativas

Em pró da Saúde

“(…)

Para que ocorra a digestão desses alimentos, o organismo gasta mais calorias no processo do que as calorias que o próprio alimento possui. Então, incluir esses alimentos no dia a dia é uma ótima forma de auxiliar o processo de emagrecimento.

(…)

calorias-negativas-hortaliças-blog-da-mimis-michele-franzonicalorias-negativas-frutas-blog-da-mimis-michele-franzoni

(…)

Outro fator que influencia no gasto calórico durante a digestão é o modo de preparo dos alimentos, vegetais crus são mais difíceis de digerir do que os cozidos. Comer devagar também gasta mais calorias, e claro que o metabolismo de cada pessoa influência muito.

Ah! Os alimentos ricos em  proteínas (…) Apesar de não serem considerados calorias negativas, elas são de lenta digestão e gastam mais calorias para serem digeridos. (…)

Fonte: Informação retirada do Portal Blog da Mimis no dia 7 de agosto de 2016:

http://blogdamimis.com.br/2014/05/30/alimentos-com-calorias-negativas-quero-ja/

Ver o post original

Nutricionista explica a importância das leguminosas na alimentação

ederepente50

Segundo Alessandra Luglio, incluir este grupo na alimentação auxilia no bom funcionamento do corpo e da saúde

Aliar uma alimentação equilibrada com exercícios físicos é uma forma de manter um estilo de vida saudável e de diminuir riscos de doenças e outros problemas de saúde. Dentro de um cardápio semanal, é fundamental garantir a oferta de todos os nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo, como proteínas, vitaminas e minerais.

E, para isso, variar a alimentação é importante não só para não enjoar dos alimentos, mas também para aumentar a gama de nutrientes consumidos. As leguminosas, por exemplo, são uma opção de alimento que ajuda a variar os sabores e as cores das proteínas que entram no seu prato. Além disso, elas possuem fibras que colaboram para um bom trabalho intestinal e contribuem para o controle dos níveis de colesterol no sangue.

A nutricionista Alessandra Luglio, da P4B, explica…

Ver o post original 298 mais palavras

INSÔNIA

Tem coisa pior do que insônia??? nossa ela desequilibra tudo…Uma noite com insônia faz seu dia ser péssimo, é o mau humor, é o desânimo ,é a olheira que fica  enorme é   o medo de chegar a noite e acontecer de novo.

Há na cultura popular dicas  que dizem que  aumentam a possibilidade dela acontecer, tomar café muito tarde,bebida com cafeína,alimentos energéticos naturais e não ésó crendice não é verdade esses alimentos  podem sim deixar a gente agitada e nada do sono chegar…

Mas do jeito que tem coisas   que desencadeia a insônia tem também  coisas  que podem ajudar a combater.

“A insônia é conceituada como a dificuldade de iniciar ou manter o sono ou insatisfação com a qualidade do sono e que pode interferir no desempenho das atividades sociais e cognitivas. Este trabalho teórico buscou estudar a insônia no adulto e suas alterações que acometem o desempenho ocupacional.”

A insônia consiste em uma das queixas mais comuns de distúrbio do sono, acometendo principalmente as mulheres e sua prevalência é de 10 a 40% na população em geral .

O primeiro critério trata-se de uma queixa de dificuldade para iniciar ou manter o sono, despertar precoce ou sono cronicamente não restaurador e de qualidade ruim. O segundo critério é que os sintomas citados no primeiro critério acontecem apesar de existirem condições adequadas para o sono. E o terceiro critério abrange a presença de algumas queixas que estão relacionadas às dificuldades do sono como: fadiga; déficit de atenção; concentração e memória; disfunção sexual, profissional e acadêmica; irritabilidade; sonolência excessiva diurna; falta de motivação e energia; propensão a erros, acidentes no trabalho ou na condução de veículos; cefaleias; tensão e sintomas gastrointestinais; e preocupação com o sono; sendo que uma dessas características deve estar presentes para o diagnóstico de transtorno de insônia.

Algumas terapias que podem ajudar:

1. Terapia cognitiva

O objetivo da terapia cognitiva é eliminar as crenças e as atitudes errôneas relacionadas ao sono. Alguns sintomas e queixas de sono são alvos da terapia cognitiva, entre eles: 1) uma falsa expectativa do tempo necessário de sono (“Eu não consigo dormir as oito horas de sono que são necessárias para o meu bem-estar…”); 2) uma concepção inadequada das causas da insônia (“Minha insônia é a conseqüência de um desequilíbrio químico…”); 3) a amplificação das suas conseqüências (“Eu não consigo fazer nada após uma má noite de sono…”).

2. Terapia do controle de estímulos

A terapia do controle de estímulos é baseada na premissa de que a insônia é uma resposta condicionada aos fatores temporais (tempo despendido na cama) e ambientais (quarto de dormir/cama) relacionados com o sono. Sendo assim, o seu principal objetivo é treinar o insone a reassociar o quarto de dormir e a cama com um rápido início do sono. Para isto, deve-se abreviar as atividades incompatíveis com o sono (observáveis e camufladas) utilizadas como dicas para permanecer acordado, além de planejar um consistente ciclo vigília-sono.

Terapia de restrição do sono A terapia de restrição do sono consiste na redução do tempo despendido na cama de modo a que este se aproxime do tempo total de sono. Por exemplo, se o insone relata que dorme uma média de cinco horas e permanece na cama por oito horas, a recomendação inicial é reduzir o tempo despendido na cama para cinco horas. Se a eficiência do sono (razão entre o tempo despendido na cama e o tempo total de sono multiplicado por 100) for menor que 90%, deve ser realizada uma redução semanal de 15-20 minutos no tempo despendido na cama, até que seja alcançada uma eficiência de sono de 90%. A partir disto, devem ser aumentados os mesmos 15-20 minutos por semana até que o tempo total de sono suficiente seja alcançado. Para prevenir uma sonolência diurna excessiva, recomenda-se que o tempo despendido na cama à noite não seja inferior a cinco horas.

Terapia de relaxamento

As intervenções baseadas no relaxamento foram estabelecidas a partir da observação de que, frequentemente, os pacientes com insônia relatam um alto estado de alerta (fisiológico e cognitivo), tanto durante a noite como durante o dia. Os tipos de relaxamento mais comuns são o relaxamento muscular progressivo e o biofeedback. O primeiro consiste em tencionar e relaxar diferentes grupos musculares de todo o corpo, visando uma diminuição do alerta fisiológico (tensão muscular); já o segundo é uma técnica que utiliza estímulos visuais (imagens confortá- veis ou neutras) e/ou auditivos (músicas) para desfocar a atenção do paciente.

Terapia de intenção paradoxal

Este método consiste em convencer o paciente a encarar o seu mais temido comportamento (ex: ficar acordado durante a noite). Assim, se o paciente deixar de tentar dormir e insistir em ficar acordado, o estado de ansiedade pré-sono vai ser reduzido e o início do sono pode ser atingido mais facilmente. Este procedimento pode ser considerado como uma forma de reestruturar a cognição para reduzir o estado de ansiedade e assim induzir ao sono.

Fototerapia

O objetivo da fototerapia é aumentar o estado de alerta do paciente por intermédio de um estímulo luminoso, o qual consiste em posicionar uma caixa de luz ao nível dos olhos, a uma distância de aproximadamente 90 cm. A potência da luz pode variar entre 2.500 e 10.000 lux e, dependendo da potência da luz, o tempo de exposição pode variar de 30 minutos a duas horas. O horário em que deve ser realizada depende da intenção da terapia.

7. Higiene do sono

A higiene do sono é um método que visa educar os hábitos relacionados à saúde (ex: a dieta, o exercício físico e o uso de sustâncias de abuso) e ao comportamento (ex: a luz, os barulhos, a temperatura e o colchão) que sejam benéficos ou prejudiciais ao sono.16 As recomendações da higiene do sono incluem: 1) usar o quarto e a cama somente para dormir e praticar atividade sexual; 2) evitar o barulho (com tampão de ouvido), a luz (cortinas nas janelas) e a temperatura excessiva (cobertor/ar-condicionado) durante o período do sono; 3) evitar, entre outras, a cafeína, a nicotina e as bebidas alcoólicas nas últimas 4-6 horas que antecedem o sono.

8. Exercício físico

A prática regular de exercícios físicos, entre outras terapias, é sugerida para melhorar a qualidade do sono, embora o tipo, a intensidade e a duração do exercício ainda não estejam bem definidos. Em uma recente revisão, Youngstedt ressaltou a necessidade de novas pesquisas que avaliem a influência do exercício físico sistematizado na qualidade do sono dos insones.

E como sempre a alimentação que é a base para o equilíbrio da saúde em tudo e com esse distúrbio do sono é preciso ficar atento,há alimento que não promovem um bom sono e há outros que favorecem uma boa noite de sono

Alguns alimentos que favorecem

– Banana: Rico em potássio e triptofano, a fruta ajuda nos controles de ansiedade e compulsão, melhorando a qualidade do sono.

– Brócolis: É rico em magnésio, nutriente responsável pelo relaxamento muscular.

– Água de coco: Fonte de diversos nutrientes que causam saciedade e ajudam a controlar a compulsão.

– Carne de boi: Fonte rica em vitamina B3, responsável na produção da serotonina, o neurotransmissor do sono.

– Ovo: Seu alto teor de proteínas ajuda no controle de problemas relacionados à depressão.

– Abacate: Rico em Beta sitosterol que é importante modulador do hormônio do estresse (Cortisol), responsável pela insônia.

Entre outros como castanhas,peixes,brócolis,morangos,maçãs,ervilhas,alface,maracujá,chá de camomila,salmão ,queijo ,mel,azeite,arroz integral,macarrão…

Achei essa Ilustração no  Blog da Mimis e pode ajudar também:

81a56cff17f2760c697c40ad18251adb

 

Alimentos que devem ser evitados porque causam insônia:.

Café;Bebidas energéticas como coca-cola, Guaravita, guaraná ou Red Bull;Chá preto;Chá mate;Chá verde;Gengibre;Pimenta;Açaí;Chocolate.

Dica de cardápio para combate a insônia:

Refeição Dia 1 Dia 2 Dia 3
Café da manhã 1 copo de café com leite + pão integral com manteiga 1 copo de iogurte natural + 4 torradas integrais com ricota 1 copo de leite + 1 pão integral com queijo
Lanches 2 kiwis + 5 bolachas Maria 1 fatia de melão + 3 castanhas 1 iogurte natural + 1 col de sopa de linhaça
Almoço/Jantar Macarrão integral, atum, molho de tomate + salada + 1 laranja Arroz integral, salmão + salada com espinafres + 3 ameixas secas Sopa de feijão, batata e legumes + 1 fatia de melancia
Ceia 1 iogurte natural + 1 col de sopa de chia 1 copo de leite morno + 3 torradas integrais 1 copo de chá de camomila + 4 bolachas de água e sal

*Uma boa dica é escalda pés com a água bem quentinha e um punhado de Sal amargo é uma beleza,além de ajudar desintoxicar o organismo.

*Não fazer uma refeição fria, como salada, ao jantar. Uma sopa ou outra refeição quente é o mais aconselhado;

*Não jantar muito próximo da hora de ir para a cama

*Não assistir televisão enquanto estiver jantando.

Cuidados – A insônia pode manifestar-se em diferentes períodos da noite. Cientificamente, o tempo necessário para um sono reparador varia de uma pessoa para outra, mas, na maioria dos casos. A insônia crônica requer avaliação profissional., sendo indispensável descobrir a causa do distúrbio, pois a ausência do sono reparador pode prejudicar a saúde física e mental

Fontes de pesquisa:

http://www.tuasaude.com/

http://mdemulher.abril.com.br/

http://www.revistas.usp.br/rto/article/download/64660/88127

http://www.scielo.br/pdf/rbp/v29n3/2411.pdf

 

 

 

Perigo do Palmito e dos Alimento Industrializado -Embalados-Embutidos etc.

Gente as vezes fico preocupada em passar informações de conhecimentos  que podem ajudar , acho que é  importante abordar esse assunto. Há sempre notícias de que  palmito ou esses alimentos embalados em latas ou caixinhas causou estragos ou fez vítimas. É verdade ,o botulismo é uma doença que  pode ocorrer com ingestão desses alimentos.O assunto é  sério.E infelizmente  não é só o botulismo…há muitas DTAs(doenças transmitidas por alimentos)

Uma explicação de como é a extração sobre o palmito:

“O palmito é extraído do meristema apical ou popularmente conhecido como “miolo” de certas espécies de palmeiras. Para sua extração, corta-se essa região da planta e consequentemente ela cairá no solo e poderá ser contaminada por uma bactéria chamada Clostridium botulinum que causa o botulismo está presente na terra.O palmito então é colocado no frasco de vidro e posteriormente será embebido em salmoura e vinagre. O grande problema é que esse microrganismo sobrevive à conserva e pode produzir uma toxina que é a  causa o botulismo, uma doença que paralisa a musculatura . Desse modo, quando ingerida, a toxina pode paralisar a musculatura encarregada da respiração e o indivíduo pode morrer.”

A contaminação muitas vezes se dá na extração e não no envase.

E não há essa contaminação só em palmitos,há em latas e embalagens a vácuo se  entrou ar pode haver contaminação.Nos embutidos também ocorre muito. infelizmente  não é só esse tipo de bactéria, em estudos de microbiologia constata-se muitas contaminações em alimentos é preciso ficar atentos sempre.

Como evitar o botulismo?

 O palmito não é um alimento vilão ,nem o milho ,ervilha e outras conservas,são todos muito bons,se não puder come-los naturais é preciso precauções, antes de consumi-lo. 

A primeira dica é cozinhar sempre ferver por 15 minutos antes de consumir,ou fazer receitas que vão ao fogo,que é mais seguro.

O calor da fervura poderá inativar essa toxina e assim, caso seja ingerida, não causará danos ao seu organismo.(em microbilogia estuda-se que há bactérias resistentes mesmo a temperaturas bem altas,elas mantém a toxina no alimento,há esporos)

Outro grande problema é que se o alimento está contaminado não há indícios dessa contaminação só olhando para ele ,sentindo cheiro e mesmo o sabor, quer dizer não é perceptível essa contaminação,por isso todo cuidado é pouco.

Dicas que podem tornar alimentos Industrializados mais seguros:

1-Olhar bem o prazo de validade

2-Observar a embalagem se não está danificada.(amassada,rasgada,furada,lata estufada,lata enferrujada) em latas se ao abrir escutar um barulho como se tivesse um gás como em refrigerantes não consuma.

3-Se é vidro observar a coloração do produto e do líquido que o envolve.(Se tiver muito turvo,leitoso,com partículas e coloração modificada)não consuma.Se a tampa abrir muito facilmente e sem lacre não consuma.

4-No caso de frios,carnes,frangos,peixes e derivados comprar  apenas os de procedências com referencias de inspeção sanitária,observar também o armazenamento e a manipulação no estabelecimento que vende.É sempre bom lembrar que carnes não devem ser lavadas principalmente antes de serem armazenadas,esse procedimento aumenta a atividade bacteriana,só peixes e frutos do mar que podem. Ao descongelar o correto é que seja sob refrigeração.(nunca  debaixo de água ou sob o sol).Pode descongelar diretamente na panela ou forno.Os frios ,a melhor opção é que passem por um processo de cocção(chapas,fornos,máquinas de sanduíches) ficam mais seguros para consumo.

5-Leites e laticínios também precisam de  atenção ao consumi-los,os leites devem ser fervidos,iogurtes bem refrigerados,os queijos frescos observar a procedência e o armazenamento,embalagens tetra – pack deve estar limpa,e bem firme.

6-Os produtos naturais como frutas e verduras devem sempre ser higienizados de forma adequada,não esquecendo que há muitas bactérias(de todo tipo) na terra e que podem ficar no alimento.A higienização é feita lavando bem tirando a sujidade e depois colocando de molho em uma solução de hipoclorito de sódio(água sanitária)na proporção de 1 colher de hipoclorito para cada litro de água e depois um enxague com água potável ou filtrada.

7-Lavar as embalagens antes de abrir (inclusive o saquinho de leite)

8-Um alimento que ninguém pensa que pode estar contaminado por ser conhecido como bactericida natural é o mel.E ele pode ser uma fonte  de bactérias do botulismo,deve ser observado a procedência.

9-É muito importante a lavagem correta das mãos antes de fazer uma refeição, e quando há manipulação de alimentos,ao preparar ou embalar.

10-É muito importante lavar machucados que entram em contato com a terra.

Existem três formas de botulismo: 

botulismo clássico (alimentar), causado pela ingestão de alimentos contendo neurotoxinas, botulismo de lesões (wound botulism), doença infecciosa causada pela proliferação e consequente liberação de toxinas em lesões infectadas com C. botulinum, e o botulismo infantil, que também é uma doença infecciosa causada pela ingestão de esporos de C. botulinum, com a produção da toxina no intestino de crianças com menos de um ano de idade. (BERNADETTE, 2002; ESTADOS UNIDOS, 2010). 

 Os alimentos mais envolvidos em surtos de botulismo são os embutidos, tais como salsichas, presuntos, chouriços e patês. Assim como os derivados de leite, enlatados, queijos, produtos fermentados e peixes em conserva ou defumados, onde todos são passíveis de provocar intoxicação. Não esquecendo os produtos vegetais como palmito, espinafre, aspargos, cogumelos, milho, vagens, figos, azeitonas e ervilhas. (GERMANO, 2003; BRASIL, 2006).

Caso de ocorrência de contaminação:

No dia 19 de agosto, a família de Nova Canaã Paulista (SP)  já estava diagnosticada com o botulismo e recebeu um soro específico, mobilizando a Polícia Militar em uma megaoperação para transportar o produto.

SintomasA família (pai, mãe e duas crianças de 12 e 9 anos) apresentou sintomas de vômito, diarreia, visão embaçada e, na evolução da intoxicação, dificuldade para engolir, falar e de locomoção. Nos casos mais graves, há paralisia dos músculos respiratórios, o que pode ser fatal.

 Concluindo: O botulismo é um problema de saúde pública, onde o maior perigo de contaminação está nos alimentos industrializados e artesanais.É preciso muito cuidado com a manipulação de alimentos.O  que pode ajudar é  quando esses  manipuladores são treinados por profissionais da área de nutrição para que façam praticas adequadas de higiene e sanitização . Essas contaminações podem ser  evitadas através da conscientização da população com informações, e com  as boas práticas de higienização ao manipular e consumir os alimentos.  O número de casos de botulismo no Brasil não é muito elevado, mas quando há casos as sequelas são graves, quando a vítima não chega ao óbito. E há  outros tipos de  contaminações,por isso atenção.

Se puder evite o consumo desses alimentos ,prefira os mais  naturais.

Alimento é vida!!! 

Alimento é coisa séria.

Fontes de pesquisa: